13 3222-4396 - Whats:13 99650-4396 - contato@espacopeledermato.com.br

Peeling Químico

shutterstock_125340809

O que é peeling químico?

É um procedimento no qual o médico aplica um ácido na pele do paciente para promover sua esfoliação. Podem ser utilizados diversos tipos de ácidos e esta escolha dependerá do que se deseja tratar (acne, manchas, poros dilatados, rugas, queratoses) e da profundidade que se deseja atingir nas camadas da pele.

Para que servem?

Os peelings melhoram a textura da pele, clareiam manchas e atenuam rugas finas, diminuem a oleosidade da pele, sendo coadjuvantes no tratamento da acne e dos poros dilatados.

Onde podem ser feitos?

Os peelings podem ser aplicados na face, pescoço, colo, antebraços, mãos, costas e até mesmo virilha, axilas.

Como é feito?

O médico aplica o produto sobre a pele limpa, espalhando-o uniformemente. Alguns peelings são indolores, em outros pode haver ardência e queimação, dependendo do ácido aplicado. Alguns tipos de peelings são retirados em poucos minutos. Em outros, o paciente vai para casa com o produto e só retira algumas horas depois.

Quais são os tipos de peelings químicos?

Os peelings podem ser classificados em superficiais, médios e profundos dependendo da camada da pele a ser atingida. Resultados bons e seguros podem ser obtidos com peelings superficiais seriados, realizados em pequenos intervalos (em geral de 15 em 15 dias). A descamação da pele costuma ser fina e não atrapalhando o dia a dia, podendo o paciente voltar à sua vida normal no dia seguinte. Os peelings superficiais melhoram a textura da pele, clareiam manchas, atenuam rugas finas e ajudam no controle da oleosidade e no tratamento da acne. Os peelings médios provocam descamação mais espessa e escura, necessitando de 7 a 15 dias para retorno à vida normal, porém são mais indicados quando a pele já apresenta asperezas como as ceratoses (lesões pré-cancerosas) e rugas mais pronunciadas. Os peelings médios renovam a camada superficial da pele, clareando manchas e alterações de superfície da pele, como rugas, cicatrizes de acne discretas e queratoses. Já o peeling profundo é bem mais agressivo que os demais, provoca a formação de muitas crostas e a sua recuperação pode durar até um mês. Promove renovação importante da pele e diminuição até mesmo de rugas mais profundas. Seus resultados costumam ser mais aparentes, porém aumentam também seus riscos, desconforto e tempo para recuperação da rotina. Atualmente os mesmos resultados obtidos com peelings profundos podem ser obtidos ou até mesmo otimizados, utilizando-se de outros métodos como por exemplo o laser.

Quais são os cuidados para realização dos peelings?

A pele deve ser preparada previamente com antecedência de 7 a 15 dias com uso de cremes prescritos pelo dermatologista. Estes cuidados permitem a obtenção de melhores resultados, além de ajudar a evitar possíveis efeitos indesejáveis dos peelings, como pigmentação pós-peeling ou queimaduras, que podem acontecer mesmo quando todos estes cuidados são tomados. Por isso, os peelings devem ser realizados por médicos capacitados para o uso das técnicas e aptos a resolver qualquer problema que possam surgir em decorrência do tratamento, lembrando que uma técnica aparentemente simples, porém em mãos inábeis, pode trazer resultados desastrosos. No pós-peeling deve-se evitar exposição solar direta e usar muito filtro solar FPS 30 ou maior, além de emolientes prescritos conforme o tipo de pele tratada.